Um BLOG PARA CHAMAR DE MEU

Um BLOG PARA CHAMAR DE MEU

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

PARA VOCÊS DOIS

Para que tudo se encaixe é preciso:
- coragem, humildade e fé em falar.
- paciência e abster-se de julgamentos precipitados ao ouvir.
No mínimo muito se aprenderá e no máximo tudo voltará a ser bom de novo.
Tentem ficar entre o mínimo e o máximo.. fará bem para vocês dois.


A Minha Gratidão É Uma Pessoa




Depois de pensar um pouco
Ela viu que não havia mais motivo e nem razão
E pode perdoá-lo
É fácil culpar os outros
Mas a vida não precisa de juizes
A questão é sermos razoáveis
E por isso voltou
Porque sempre o amou
Mesmo levando a dor
Daquela mágoa
Mas segurando a sua mão
Sentiu sorrir seu coração
E amou como nunca havia amado
Mas como começar de novo
Se a ferida que sangrou
Acostumou a me sentir prejudicado
É só você lavar o rosto
E deixar que a água suja
Leve longe do seu corpo
O infeliz passado
E por isso voltou
Pra quem sempre amou
Mesmo levando a dor
E aquela mágoa
Mas segurando a sua mão
Sentiu sorrir seu coração
E amou como nunca havia amado
E viveram felizes... para sempre
E eles estavam livres da perfeição que só fazia estragos

 

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Scarlatina

A língua é assim, imagina o resto...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Transformação do amor

Eu penso muito.
Penso muito e escrevo pouco.
Esses dias estava pensando como meu amor se transformou.
Transformação que sempre vem com o tempo. Não para mais, não para menos mas para diferente.
Meu amor amadureceu e estou contente com isto.
Ainda amo ficar na cama a manhã toda do domingo assistindo a filmes de qualidade duvidosa (que eu não me importo) enquanto você dorme o sono dos justos.
Ainda amo fazer carinho nas suas costas ou na sua barriga enquanto penso na vida.
Ainda amo falar com você todo dia ao telefone e sentir uma saudade gostosa por não saber quando nossos horários irão se encontrar.
Mas amo também o amor transformado que estamos vivendo.
Eu penso num futuro próximo, eu penso no quanto você batalha, no quanto você se esforça, no quanto você anda cansado e estressado. Eu penso, entendo, respeito e faço o que posso para tentar minimizar essas dificuldades.
Eu penso nas nossas diferenças de pensamento, nos diferentes gostos, nas diferentes maneiras de sermos nós. Penso e acho engraçado como nossas diferenças são engraçadas e como nos completamos com elas.
Sei que a transformação vem e virá e virá mais ainda, mas espero que continue vindo para melhor, para sermos mais nós.

A minha visão da chegada dela (foi assim que imaginei...)

E finalmente ele a encontra.

Ele corre em direção a ela. Ela larga as malas no chão e corre em direção a ele.

Ela pula o colo dele.

Eles se beijam, eles se abraçam, eles choram juntos para extravasar a imensa saudade que sentiram nesses "anos" todos de afastamento.

E para completar o conto de fadas ele conhece Papai Noel também.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Um bom ano

2010...

Aconteceram planos e planos começaram a se concretizar.

Meus amigos casaram,
Meus amigos tiveram filho,
Meus amigos compraram apartamento,
Meus amigos encontraram a pessoa certa,
Meus amigos conheceram papai noel,
Meus amigos se apaixonaram,
Meus amigos começaram uma nova faculdade,
Meus amigos fizeram música,
Meus amigos estiveram muito presentes na minha vida.
Meus amigos começaram ou terminaram uma pós graduação,
Meus amigos compraram/trocaram de carro.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

A hora...

A hora está chegando...

Finda-se uma espera, inicia-se uma jornada...

Domingo teremos mais um para olhar nos olhos!

Seja muito bem-vindo Enzo!

terça-feira, 9 de novembro de 2010

DAR NÃO É FAZER AMOR

Dar não é fazer amor. Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca.
Te chama de nomes que eu não escreveria...
Não te vira com delicadeza....
Não sente vergonha de ritmos animais.
Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar...
Sem querer apresentar pra mãe...
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...
Te amolece o gingado... Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos...
Sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora. Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.

Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe...
Pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: "Que que cê acha amor?"
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho...
É não ter alguém para ouvir seus dengos...
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, dê uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar o suficiente pra nem perceber as catarradas na rua. Experimente ser amado...

Luiz Fernando Veríssimo

Ps.: Desleixada que sou não conferi a real autoria, espero que seja dele mesmo mas se não for... ok!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

You'll Be In My Heart

Só porque eu gosto!


terça-feira, 2 de novembro de 2010

Para Ana que espera Paul conosco...

Ana,

Antes que seja tarde demais... rsrs

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

domingo, 31 de outubro de 2010

Só é possível te amar...

No meu coração fiz um lar
O meu coração é o teu lar




 

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Tornando algo irresistível

A propaganda é a alma do negócio, diria um publicitário.

Mas experimente resistir aos Mistérios de Pêssego, você não vai conseguir.

Sobremesa da melhor categoria, da mais fina gastronomia, de dar água na boca em qualquer cidadão do mundo.

Receita guardada em cofre com 500 mts de profundidade, lacrada e selada com sangue mas... eu tenho a receita.

Mistérios de Pêssego, a reinvenção  da roda!

Você não pode perder, em breve!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Aos 15...

... Justin Bieber tem uma biografia  ...

... e o mundo se perdeu...

? Ele tem muito a dizer ou nada na cabeça?

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Eu sou gente também!

"Pois fica decretado, a partir de hoje,
que psicólogo é gente também.
Sofre e chora, ama e sente, às vezes,
precisa falar: O olhar atento, o ouvido aberto,
escutanto a tristeza do outro, quando, às vezes
a tristeza maior está dentro do seu peito.
Quanto a mim, fico triste e fico alegre
e sinto raiva também. Sou de carne e osso,
e quero que você saiba isso de mim
E agora, que jah sabe que sou gente,
quer falar de você pra mim?"


Cyro Martins

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Odeio minha velhice

Estou velha (ponto)

Pior do que estar velha é ficar velha a cada dia (outro ponto)

Eu não queria ter as coisas que eu tenho (entenda esteticamente e fisiologicamente) apesar de gostar das coisas que eu ganhei (enteda intelectualmente e experiencialmente)

Acho que a meia-idade para mim está sendo pior do que a adolescência. Achei que passaria ilesa por essas agruras do mundo mas hoje percebi que não, sou humana (droga) como qualquer um. Daí fico imaginando minha velhice, como será então?

Eu não tive dúvidas de adolescentes quanto a sexualidade, perdido no mundo, de quem gostar, o que será de mim daqui 10 anos etc e tal... Passei levitando como sempre, cabeça nas nuvens, sem muitas preocupações, com amigos, sem amigos, com namorado a maior parte da fase, e assim transcorreu meus anos de adolescente, nem rebelde eu fui!

Daí chega essa nova fase: 31 e anos e tudo muda!

Eu, que não tinha TPM - agora tenho!
Eu, que não era mal humorada - agora sou!
Eu, que era bacana - agora sou velha!
Eu, que emagrecia - agora acordo gorda todos os dias!

Quero voltar aos 20 anos com tudo que tenho hoje (entenda intelectualmente, amigavelmente e, óbvio, amorosamente)

No começo do texto disse meia idade, mas é mentira porque eu tenho 91 anos!

Odeio minha velhice!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Lembranças

Preconceitos a parte, o filme é muito bom!
Preconceito por conta do vampiro de Crepúsculo, ele não é um excelente ator na série, mas eu gostei bastante dele neste filme. Muitas vezes ele faz cara de vampiro esquisito olhando para o nada, pensando na Bella e no lobisomen que é mais gato que ele, mas na maior parte do filme ele se sai bem!
A história fala de perdas e da dificuldade em superá-las. Fala de amor, família, viver o que quer viver porque ninguém sabe do amanhã.
Enfim, eu recomendo!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Minha compulsão por livros

Por ler?
Não, não! Por comprar livros!
Acho isso estranhíssimo! Eu poderia ser uma ávida leitora, pois tenho tempo de sobra e trabalho longe a beça mas ao contrário do que se espera/imagina/crê, eu sou uma preguiçosa de mão cheia (cheia de dobrinhas de tão gorda!).
Fiz um acordo comigo mesma de que compraria um ou dois livros por mês (apenas), porém logo percebi que descumpri este acordo já que mês passado comprei 4 livros (1 dei de presente) pela internet e mais uns vários na Bienal.
Tem uma menina no trabalho que me alegra muito (chego a ter inveja branca dela) pois ela lê em média 1 livro por semana e, ainda por cima, faz faculdade de engenharia.
Como ela me provou ser uma pessoa bacana e idônea, eu empresto livros p/ ela pois ela lê, comenta sobre eles e me devolve, tudo assim rapidinho, rapidinho.
Como sou cheia das coisas... só gosto de emprestar livros que eu já li, não gosto muito que as pessoas estreiem meus livros, mas no caso dela estou ficando sem opção pois ela leu em 3 meses quase todos os livros que eu li e gostei e que ainda mantenho... Claro que não tenho coragem de emprestar aqueles que eu não gostei muito, acho sacanagem com a pessoa.
Acho que terei que praticar o desapego e começar a emprestar livros que ainda não li mas isso me faz querer comprar mais livros, ou seja, não é culpa minha essa compulsão, as pessoas que a alimentam e eu vou seguindo e engordando minha linda estante!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Revolta

Desde que mudei o layout do blog não escrevo...

Acho fiquei revoltada porque gostava mais do jeito antigo e não consigo reverter a mudança...

Espero para breve novas inspirações!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Vida fútil...

É assim que sinto minha vida atualmente.
Não faço nada de bom para o mundo nem para mim.
Acordo, trabalho, volto p/ casa pensando em dormir de novo.
Na folga não dá tempo de nada. Sábado e domingo passam voando e não faço nada.
Internet, livro, línguas, academia, voluntariado... são planos para depois.
Depois do quê? Depois de quando?
Não sei, tô cansada para pensar nisso tudo, meus olhos ardem do ar seco e do sono que já vem dominando.


quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Além mar...


É lá que ela está, além mar.
E ele aqui na terra do pau-brasil quase extinto.
E ela quase não foi por medo, por dúvida, por problemas...
E ele quis que ela fosse... forte, segura, lutadora.
E ela não desistiu porque (quase) tudo deu certo.
Ele vibrou e chorou. Feliz por ela ir e triste pela partida.
Vá, realize seus sonhos e o espere.
Já já é além mar que vocês vão se encontrar.
E eu e o meu ficaremos aqui só pensando no regresso de ambos.

sábado, 14 de agosto de 2010

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Aos recessivos...

Desculpe, sou dominante!!!

Tati e Du, aprendam!!!

domingo, 1 de agosto de 2010

Minha teoria

Indo trabalhar um dia desses, fiz a teoria que comprova a falta de incentivo aos estudos no Brasil.
É tão simples que não sei como não descobriram antes...
A teoria se baseia na kilometragem do trânsito.
Quanto mais gente estudando, mais gente no metrô, mais gente nas ruas, mais carros fazendo trânsito, loooogo, a falta de incentivo vem em diminuir a quantidade de pessoas no metrô, nas ruas e no trânsito, assim elas ficam em casa assistindo Datena, Ratinho e Márcia.
Estudando pouco elas tem trabalhos mais simples e não se deslocam em grandes distâncias pois fazem "bicos" próximos de casa (pedreiros, empregadas domésticas, etc e tal), assim não usam fretado e nem tem dinheiro para comprar carros, o que diminui o tráfego.
Quanto mais estudada a pessoa é mais distante ela trabalha de casa pois as melhores oprtunidades nunca estão ao lado de casa.

sábado, 31 de julho de 2010

Tic Tac


Ganhei uma latinha que continha Tic Tac´s.
Lembrancinha de um casamento que eu não fui.
Hoje, curtindo umócio na cama chupei umas balinhas e cheguei a algumas conclusões sobre a guloseima:

* Elas parecem ser de tamanhos iguais mas não são
*Elas derretem na boca de forma desigual
*Elas não substituem um dente
*Se colocar muitas na boca ao mesmo tempo seu nariz escorre
*Elas se tornam esfarelentas se você roça nos dentes
*Elas acabam antes que sejam tiradas todas as conclusões.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

A saga da minhoca

Ela acordou cedo e se vestiu para o trabalho.
Pensou na noite anterior em que roupa vestiria para ficar bonita para a tarde seguinte.
Colocou suas roupas na mochila pois não voltaria para casa naquela noite. Tinha planos.
Prometeu se comportar, prometeu para todos pois era uma boa menina.Levantou, se lavou, se trocou, mochila pronta, partiu.
O dia foi cheio, um pouco estressante mas ela nunca esqueceu seu compromisso. Estava ansiosa dava para ver e ouvir (não parava de falar sobre seus planos).
O dia passou vagaroso apesar de todas as coisas que fez.
Horário dado, pegou sua mochila e partiu para o compromisso.
Ao longo do dia, várias trocas de mensagens para saber qual caminho mais perto e/ou mais rápido para chegar ao local marcado.
Chegou!
Esperou!
Esperou!
Esperou!
Ligou...Ele estava a caminho, mas trânsito é trânsito em qualquer lugar.
Ele chegou!
Lindo em sua carruagem verde folha escura!
E ela ficou muito feliz! Mas muito feliz mesmo!
Ao longo do caminho ela falou, falou e falou.
Chegaram ao destino, comeram panquecas de carne, brincaram com um bichinho novo no pedaço e subiram para o ponto mais alto.
Lá ele tinha algo a fazer primeiro, antes que pudessem ficar juntos e abraçadinhos.
Ele relutou em fazer. Ela insistiu para que fosse feito.
Era importante!
Ela se preocupa.Ele relaxa e adia!
Ela insiste!
Ele tenta fazer.
Como já haviam combinado, Minhoca, ficará quietinha enquanto ele executa a tarefa.
Mas ela ficou tão quietinha, tão quietinha que... adormeceu!
Foi assim que ela virou a Dorminhoca!


E assim foi até eles levantarem no outro dia para o trabalho!

terça-feira, 27 de julho de 2010

O trajeto

É sabido que trabalho longe pacas - 1 ônibus + 1 troleibus + 2 metrôs + 1 trem + 1 fretado.

O trabalho é bacana, as pessoas são bacanas e os benefícios são bacanas também.

No trajeto vejo muitas coisas, penso em muitas coisas e, psicóloga que sou, analiso o comportamento das pessoas (e o meu também).

Já beirei a loucura por não conseguir embarcar no metrô na estação Dom Pedro II, mesmo passando 5!

Já ri muito com as conversas que escuto, desde a indignação por conta da novela até o marido que fugiu de casa com a vizinha.

Já perdi bastante da minha doce civilidade... Agora empurro mesmo para entrar no metrô.

Mas uma coisa não mudou em mim: continuo odiando o trem que vai à Santo André. Misericórdia!!!!

domingo, 25 de julho de 2010

Viciada em você

Ultimamente só penso em você.
Você nem foi embora e eu já penso quando te verei novamente.
Quero saber do dia que não precisarei mais pensar isso.
Quero saber do dia em que chegarei do trabalho e te verei lá.
Hoje acordei e você estava lá de costas para mim.
Achei aquele cantinho gostoso em que me encaixo e tirei mais um cochilo.
Quero saber quando poderei ter isso todos os dias...
Quero saber do dia em que seu perfume ficará em mim para que eu não precise sentir falta de você.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sem idéia



No trajeto para o trabalho tenho muitas idéias...
Mas acho que elas se cansam de mim antes que eu chegue em casa.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

só até o mundo acabar

O universo conspira a nosso favor
A conseqüência do destino é o amor, pra sempre vou te amar


quarta-feira, 7 de julho de 2010

É assim que eu me sentiria...

Penso que todos se sentirão assim quando tiverem seus filhos...

Esta canção do Nando eu dedico, mais uma vez, aos pais do Enzo.

Que ele possa ser tão amado quanto é esperado.

Olha só o que o Nando diz sobre sua filha Zoé:

Não sei se o mundo é bom
Mas ele se tornou melhor
Porque você chegou
E explicou
O mundo pra mim

Não sei se esse mundo está são
Mas pro mundo que eu vim já não era
Meu mundo não teria razão
Se não fosse a Zoé




domingo, 4 de julho de 2010

A culpa é minha!

Torci para o Brasil.... ele perdeu.

Torci por Gana com gana... ela perdeu.

Torci pela Argentina... ela perdeu (graças a Deus pq bigulim de Maradona, ninguém merece!!)

Vou torcer pela Dilma nas eleições... vamos ver no que vai dar!

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Dança das etiquetas

Jogo do Brasil, saí do trabalho as 14hs... como toda a população de São Paulo que trabalha na zona oeste...
Corre daqui, anda dali, desvia dos carros e motociclistas...Trem apinhado de gente. Camisetas do Brasil, vuvuzelas, selvageria total...
O metrô parecia saquinho de feijão... nego p/todo lado.
Eu lá apertadinha no cantinho vi: a menina estava apertada, esmagadinha... tão esmagada que as etiquetas pulularam para fora...
A roupa era nova, a camisetinha custou R$29,90. Já a blusa... não deu p/ ver o preço mas vi que ela comprou na C&A.
Conforme o metro balançava as etiquetas iam para lá e para cá.
Naquele momento vivi um dilema: dizer ou não que ela estava com as 2 etiquetas aparecendo?
Pensei, pensei, pensei e, de repente, não mais que de repente, a menina foi empurrada para o outro lado numa selvageria sem igual.
Era estação da Sé... quer sair? Não quer sair? Vai sair sem querer porque tem um milhão de pessoas querendo entrar.
E lá se foram as etiquetas, empurradas pela multidão porta a fora!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Tudo p/ Tati

Sabe de onde ela veio?
Do Sul...
Sabe quanto tempo ficou?
4 dias...
Sabe p/ onde fomos?
Para a praia...
Sabe o que fizemos?
Comemos e bebemos...
E depois?
Conversamos...
E ela?
Dormiu sempre que teve oportunidade...
E eles?
Conversaram e beberam até um deles engolir o próprio vômito...
E nós?
Fizemos tudo p/ Tati querer voltar sempre!

domingo, 30 de maio de 2010

Felicidades Bri

Um feliz aniversário para o Bri que passará o primeiro melhor ano de sua vida porque ele e a Rê descobriram que terão um bebê.

Já foi o melhor dia das mães para ela...

Agora o melhor aniversário dele...

Em breve o melhor dia dos pais e o melhor aniversário dela...

E daqui uns 6 ou 7 meses o melhor dia da vida dos 3!


sábado, 29 de maio de 2010

Luz amarela da morte



Recebi uma mensagem assim:

"Estou muito triste. Estou de luto. Meu PS3 morreu".

Pensei em algo consolador para dizer mas não encontrei.

Velamos o console com toda pompa e honrarias...

Causa mortis: luz amarela apareceu!

sábado, 22 de maio de 2010

À você que no 22 faz 28!

Eu te conheci;
Eu conversei;
Eu beijei;
Eu conheci mais;
Eu me apaixonei;
Eu chorei;
Eu ri, e ri muito;
Eu planejei;
Eu saí;
Eu voltei;
Eu fiquei;
Eu senti;
Eu amei;
Eu me tornei nós!

Meu amor por você é assim: condicional a nós!






E como tudo é explicado: Condicional é uma constante lógica que conecta duas proposições. Uma condição lógica, ou simplesmente condição, é quando um fator só pode ocorrer se um outro fator ocorrer também.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Saudades...

"Dizem que a vida é assim
Cinco sentidos em mim
Dentro de um corpo fechado
no vácuo de um quarto no espaço sem fim"


terça-feira, 18 de maio de 2010

A Bailarina

Se minha carreira no balé não tivesse acabado aos 5 anos de idade eu seria uma pessoa melhor!



sexta-feira, 14 de maio de 2010

Viver a vida

O mais bonito de toda a novela foram os depoimentos ao final de cada capítulo.
Eu esperava mais desta novela.
Esperava mais conhecimento na área de deficiência física.
Esperava mais da protagonista negra.
Esperava mais do casal que morava na favela.
Mas como quem espera nem sempre alcança...
Mas foi muito emocionante a cada depoimento ver a superação das pessoas.
Como não se emocionar com a mulher que se apaixonou por um morador de rua e agora tem uma família com ele.
Ver o esportista na sua melhor fase sofrer um acidente de automóvel e perder as pernas...
A mulher que brigou com toda a família porque se casou com um deficiente físico com dificuldades de mobilidade...

Enfim, foi bacana mais uma vez porém poderia ter sido melhor!


O Deus Moda e sua ditadura

Era uma vez um lacinho quadriculado.
Do dia para a noite ele descobriu que era o mais bonito de todos os adereços de cabelo. Saiu da loja direto para o cabelo sedoso da menina.
Começou a ser usado em diversas ocasiões: no trabalho, nas festas, com o namorado, em casa, no cinema.
Os cabelos, estando com o lacinho, ficava os mais brihantes e charmosos do mundo. Todos elogiavam.
O lacinho começou a achar que ele era o único adereço que merecia estar no cabelo daquela menina. Todas as roupas combinavam com ele.
Foi en tão que começou a se vangloriar de ser o mais escolhido, sempre ficava na penteadeira, à mão e aos olhos da menina.
E foi numa noite de verão que a menina fez algo inusitado, guardou o lacinho na gaveta e ele, ficou inconformado quando a menina começou a usá-lo cada vez menos.
Os outros adereços avisaram que aquilo era normal, pois eles tinham o Deus Moda que era quem governava tudo, e tudo sabia, e tudo ditava.
O lacinho ficou triste e desbotado, ficou no cantinho do fundo da gaveta. As presilhas, os grampos e, até mesmo os pentes, tentaram animá-lo e nada adiantava até que...
Até que surgiu uma linda fita, rosa clara com as pontas brancas, jogada na gaveta, triste, meio desfiada.
O lacino, se reconhecendo naquela tristeza foi ao encontro da mais nova moradora do fundo da gaveta e disse à ela:
- O Deus Moda sabe o que faz e agora eu estou ao seu lado para vivermos juntos até que a moda nos separe novamente.

sábado, 8 de maio de 2010

Para Simone

Sei que sua dor é grande mas para tudo há um propósito e, agora, ela está leve e cuidando de você que sempre esteve do lado dela.

O mito de Psiquê

Psiquê era uma bela mortal por quem Eros, o deus do amor, se apaixonou. Tão bela que despertou a fúria de Afrodite, mãe de Eros. A jovem acabou sendo levada ao tártaro (mundo dos mortos) como castigo.

Mais tarde, o própio Eros foi buscá-la. Ambos foram para o Olimpo onde Psiquê se tornou a deusa da Alma. Seu nome em grego (Psique) pode ser traduzido como alma mas também como borboleta.

Curiosamente, algumas vezes foi representada como uma bela mulher com enormes asas de borboleta ao lado de Eros com suas enormes asas de pássaro.

Para os gregos, as borboletas eram como a alma humana: no começo, enquanto vivos, somos lagartas feias, quando morremos, nos tornamos seres belos, superiores e leves.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Intimidade nada íntima

Dizem que intimidade é uma merda mas eu acho bem bacana, principalmente quando é com alguém que você gosta/ama.

Eu pensava que só se podia ter intimidade com alguém próximo, mas próximo no sentido filosófico da questão.

Porém, contudo, todavia, percebi que intimidade com alguém desconhecido é uma merda e das grandes e fedorentas.

Vamos ao causo:

Estava eu e Bola indo para São Paulo e fomos pegar o trem na velha estação de Utinga.

Empurra daqui, empurra dali, espreme daqui e dali ao mesmo tempo de todos os lados... entramos no trem, eu na frente e Bola mais atrás.

Foi nessa hora que percebi o quanto podemos ficar íntimos de um desconhecido.

Fiquei cara a cara com um rapaz. Mas era tão cara a cara que eu sentia o umbigo dele (antes o umbigo do que a próstata do infeliz) na minha barriga.

Naquela situação constrangedora a gente vira a cara p/ um lado, vira a cara p/ o outro, faz de conta que tá tudo bem, mas nada está bem, tudo está muito esquisito.

Chegamos no Tamanduateí e fomos enxotados para fora do trem.

Ufa, alívio, posso respirar de novo e já posso voltar a ser íntima de quem realmente sou!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

MAIO É FESTA

Este mês é especial porque é dia das mães;
É especial também porque tem o aniversário do Bola, um alguém que eu amo por demais;
Se tornou mais especial ainda quando juntamos um bocado de amigos especiais que aniversariam neste mês também, 5 amigos para ser mais precisa;
E,principalmente, porque em 1979 nascia essa que vos escreve!

Vamos aos votos:

Parabéns e sucesso para você Tiago (04/05)
Saúde e prosperidade para Marisa - minha melhor cunhada...rsrs (05/05)
Felicidades para mim (10/05)
Muita paz e amor para você Fabinho (17/05)
Muito amor e saúde para meu gatinho (22/05)
Rita querida que tudo sempre esteja em cima (22/05)
Ao Bri especiais felicidades por mais um ano que se completa, dessa vez com comemoração a 3!



sábado, 1 de maio de 2010

Venus de Milo

Foto tirada por mim, no Louvre!

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Completude

Ele não me completa!
Ele é meu amigo, meu companheiro, meu amante, meu namorado, mas não é minha metade.
Se me sinto inteira não posso ter uma metade perdida por aí.
Como dizia Lacan, o amor é "o desejo impossível de ser um quando há dois".
E com ele não quero o impossível.
Com ele, quero tudo que é possível: casa, família, cumplicidade, risadas, temperos e destemperos.
Com ele, não quero espelhamento, quero deliciosas diferenças.



segunda-feira, 26 de abril de 2010

Espiritualidade X Religião

Recebi esse texto e decidi postá-lo por achar que levanta questões muito pertinentes aos dias de hoje.

Além disso, tem a ver com o livro que terminei de ler (Sobrevivi para contar) que ensina que podemos (e devemos) conviver com diferenças de crenças, religiões, etnicas, opção sexual, etc, porque isso nos faz bem, nos faz crescer e nos faz pessoas melhores.

Segue o texto:

O texto mais lúcido que li sobre o episódio envolvendo os jogadores do Santos numa visita ao Lar Espírita Mensageiros da Luz, que cuida de crianças com paralisia cerebral para entregar ovos de Páscoa. Uma parte dos atletas, entre eles, Robinho, Neymar, Ganso e Fabio Costa, se recusou a entrar na entidade e preferiu ficar dentro do ônibus do clube, sob a alegação que são evangélicos.

Os meninos da Vila pisaram na bola. Mas prefiro sair em sua defesa. Eles não erraram sozinhos. Fizeram a cabeça deles. O mundo religioso é mestre em fazer a cabeça dos outros. Por isso cada vez mais me convenço que o Cristianismo implica a superação da religião, e cada vez mais me dedico a pensar nas categorias da espiritualidade, em detrimento das categorias da religião.

A religião está baseada nos ritos, dogmas e credos, tabus e códigos morais de cada tradição de fé. A espiritualidade está fundamentada nos conteúdos universais de todas e cada uma das tradições de fé.

Quando você começa a discutir quem vai para céu e quem vai para o inferno, ou se Deus é a favor ou contra à prática do homossexualismo, ou mesmo se você tem que subir uma escada de joelhos ou dar o dízimo na igreja para alcançar o favor de Deus, você está discutindo religião. Quando você começa a discutir se o correto é a reencarnação ou a ressurreição, a teoria de Darwin ou a narrativa do Gênesis, e se o livro certo é a Bíblia ou o Corão, você está discutindo religião. Quando você fica perguntando se a instituição social é espírita kardecista, evangélica, ou católica, você está discutindo religião.

O problema é que toda vez que você discute religião você afasta as pessoas umas das outras, promove o sectarismo e a intolerância. A religião coloca de um lado os adoradores de Allá, de outro os adoradores de Yahweh, e de outro os adoradores de Jesus. Isso sem falar nos adores de Shiva, de Krishna e devotos do Buda, e por aí vai. E cada grupo de adoradores deseja a extinção dos outros, ou pela conversão à sua religião, o que faz com que os outros deixam de existir enquanto outros e se tornem iguais a nós, ou pelo extermínio através do assassinato em nome de Deus, ou melhor, em nome de um deus, com d minúsculo, isto é, um ídolo que pretende se passar por Deus.

Mas quando você concentra sua atenção e ação, sua práxis, em valores como reconciliação, perdão, misericórdia, compaixão, solidariedade, amor e caridade, você está no horizonte da espiritualidade, comum a todas as tradições religiosas. E quando você está com o coração cheio de espiritualidade, e não de religião, você promove a justiça e a paz. Os valores espirituais agregam pessoas, aproxima os diferentes, faz com que os discordantes no mundo das crenças se deem as mãos no mundo da busca de superação do sofrimento humano, que a todos nós humilha e iguala, independentemente de raça, gênero, e inclusive religião.

Em síntese, quando você vive no mundo da religião, você fica no ônibus. Quando você vive no mundo da espiritualidade que a sua religião ensina – ou pelo menos deveria ensinar, você desce do ônibus e dá um ovo de páscoa para uma criança que sofre a tragédia e miséria de uma paralisia cerebral.

Ed René Kivitz, cristão, pastor evangélico, e santista desde pequenininho.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

A música que me persegue

Sempre em dias tristes ou difíceis eu penso nessa música, ontem não pensei e ela tocou hoje.

Agora acho que tenho a obrigação de sempre colocá-la para tocar quando estiver triste, se eu não colocar ela vem atrás de mim...


quinta-feira, 22 de abril de 2010





Hoje a noite não tem luar


É assim hoje e eu só posso esperar que passe.


sábado, 17 de abril de 2010

Lugar para pegar






Por que ter vergonha daquilo que se tem de sobra?




sexta-feira, 16 de abril de 2010

Sobrevivi para contar por Immaculée Ilibagiza

Estou devorando a história de Immaculée Ilibagiza (Ilibagiza, em kinyarwanda, língua nativa de Ruanda, significa "bela e brilhante de corpo e alma").


Ela perdeu praticamente toda sua família no genocídio de 1994 em Ruanda, devido a uma estúpida rivalidade entre Tútsis e Hútus.


Mais de 1 milhão de ruandeses foram exterminados porém Immaculée sobreviveu ao massacre dentro de um banheiro de 1,20m x 1,00m com mais 7 mulheres. Na época ela não tinha mais do que 22 anos.





Di e Tai – a história virtual de um amor real

Esta é a história de Edivaldo e Tailana. Uma história comum com pessoas incomuns.
Tailana, uma jovem interiorana de um estado sulista do Brasil. Estado este que temos a impressão de ter pessoas com sentimentos pouco amistosos com “gente de fora”.
Mas Tailana é diferente, é filha de um importante Pai, comerciante por obrigação, aventureira por opção. Doce, sábia, de boa conversa e fome de leão.
É conhecida pela classe amiga como Tai.
Falemos agora de Edivaldo, ou simplesmente Di. Rapaz ideológico por natureza, profissional de múltiplas tarefas e companheiro de todos e todas (as horas), um fofo.
A história começou com uma idéia maluca de um publicitário gente boa, Juca Medes, a idéia era juntar 30 pessoas para escrever num jornal diferente, pessoas que não se conhecem mas que tem intimidade com a escrita, pessoas de variadas profissões e lugares do mundo. E adivinha, os dois entraram na brincadeira, cada um no seu dia, ela primeiro, depois ele.
Após a fase difícil de jardineiro de cimentado, Di começou a trabalhar com empréstimo de cultura útil/inútil, sua vida melhorou muito já que a cultura útil ninguém pegava e ele a absorvia. Começou a se envolver com uma menina tão gente boa quanto esquizofrênica. Tomava seus drinks pelas esquinas da vida com seus amigos de longa data.
Mas aquilo que era apenas uma amizade de trabalho começou a se tornar algo interessante demais para ficar como estava. E-mails vieram e foram, msn´s sem fim...
Di largou mão de tudo que estava ao seu redor para tentar se entregar a esse sentimento estranho que surgia, largou a garota esquizofrênica (não pela guria mas para ter melhor qualidade de vida), deixou de tomar todas e só tomava metade, passou a usar camiseta com gola.
Marcaram um encontro. Ele ansioso por ver a guria. Ela ansiosa para conhecer aquela cabecinha mais de perto. Tão cheios de idéias, tão cheios de planos, tão sonhadores... Encontro marcado, data agendada, passagens na mão e... Deu tudo errado.
Choveu muito na cidade dela e muitas pessoas se afogaram. Ela se afogou em lágimas. Ele se afogou num copo de conhaque sem licor de cacau.
Os meses se passaram,a té o ano passou e virou outro e, neste momento, eles se falaram pela primeira vez. Ela conheceu a voz sexy dele. Ele percebeu que ela não tinha nada de sotaque sulista e o amor só aumentou.
Dias foram, semanas se passaram e o Carnaval veio alegrar aqueles que não são católicos. E para alegria dos católicos também a guria chegou à terra da garoa.
Fofa, charmosa, cheia de vida e de fome... Eles se conheceram por dentro e por fora, de frente e de trás, de cima a baixo.
A irmã de Di, Levíssima, veio do meio da nata da sociedade para conhecer a guria, trouxe seu namorado Carionês (ou Japiroca) junto, assim nós, que nada temos a ver com a história também o conhecemos. Gente boa, alternativa, vive em um mundo de cidade grande e Cult, diferente da nossa realidade de vida simples e Cinemark.
Enfim, a guria gostou tanto que voltou antes mesmo de ter ido.
Di, com a felicidade que lhe é peculiar, transbordou para fora do copo, perdeu suas ideologias, perdeu a razão, perdeu sua poupança. Viveu de amor, apenas amor e nada mais.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Festa da Pizza

Sábado, jogo de futebol a muito tempo agendado e desejado. Demora, espera, ansiedade.
Chegou tarde mas tudo bem, pé na estrada, quero ver o mar, quero sentir o cheiro da maresia, quero ficar com você.
Na estrada muito sono, sem tempo para almoçar, comeremos lá mesmo, vamos logo que a estrada é curta e nosso momento juntos está perto.
Chegamos, lugar em ordem, vamos almoçar algo. Comprei coisas para fazer pizza frita, é o que teremos para o almoço.
Fizemos, comemos, descansamos. Dormir juntos, abraçados, vira para o lado e ronca.
Acordar, ver a novela, olhar o luar. Vamos tomar uma que já está na hora.
Uma Malzebier, uma Heineken, outra e outra. Pede fritas para enganar. Escuta a música, canta com o cantor, bater palmas.
Conversas deliciosas sobre tudo e sobre todos.
O show acaba, indicando que já está na hora de ir embora. É chegar, dormir e se preparar para o domingo. Será que vai dar praia?
Blanquet de peru, peperoni, mussarela, requeijão, provolone. Começamos o dia com mais pizza frita.
Tempo meio frio, meio quente. Nada definido. Vamos passear pelas cidades litorâneas – Mongaguá , São Vicente, Praia Grande, Santos.
Semifinal de algum campeonato, Santos 3 x 2 São Paulo. Valeu pela cerveja, pelo bom atendimento, pela conversa da mesa ao lado, pelas nossas conversas.
De volta ao lar, prato principal pizza para variar. “Se beber não case “ para distrair. “O desinformante” para dormir.
Segunda-feira, podemos aproveitar até o último minuto, vamos comer pizza então para carregar as energias e iniciar a caminhada até o centro.
Shortinho colocado, tênis amarrado, óculos escuro e pé na calçada! Caminhada gostosa, como é boa sua companhia. Água de coco gelada, a minha azeda e a sua docinha. Piadas sobre o mar e as pessoas.
Palco alto demais para os seus medos. Eu brinco na beirada, olho para baixo, penduro minhas pernas mas te dou a mão para descer as escadas de degraus vazados.
Passeando de mãos dadas pelo centro da cidade decidimos voltar. Pegamos o ônibus que não chega até lá . Fazemos o restante do caminho a pé, jogando frisbie pelo calçadão, de repente uma idéia maluca soprada pelo vento – correr até o apartamento.
Incentivos de todos, manha por minha parte. Moleza pela parte dele. Corri e parei por diversas vezes, perdi o fôlego, andei.
Chegamos! Eu morta, ele falante e com piadinhas infames para o meu lado. Ok, Ok, sou mole!
Conversa durante o banho, dessa vez revezando a água do chuveiro. Não canso de repetir como é bom estar com você.
Jean Charles no DVD, a gente acompanhando a história comum de um rapaz comum que tomou uns tiros pelas costas lá na terra da rainha.
Filme terminado, apartamento limpo, pé na estrada que é h ora de voltar para a realidade.

terça-feira, 6 de abril de 2010

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Desejo

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar ".

(Victor Hugo)

sábado, 27 de março de 2010

Vida cotidiana

Ela é casada e tem um filho.
Pela manhã o deixa na creche e ruma para seu trabalho no centro de São Paulo.
Trânsito sempre congestionado. Nos dias de chuva a cidade sofre e ela chora. Chora sua vidinha mais ou menos.
Não pode nem cantar para espantar seus males pois o guarda a multa achando que ela está no celular - viva-voz!
Se fica no silêncio é invadida por milhares de pensamentos sofridos, pensamentos da sua vida corrida e complicada que vai do trabalho corrido, estressante e bem remunerado ao inferno gelado da sua vida conjugal.
Com o trabalho que adora não tem tempo de pensar nas contas que ela tem que pagar, no carro que precisa de manutenção (não é a melhor motorista do mundo), no filho que precisa de cuidados pela pouca idade e pela falta que sente dos pais.
No caminho de volta o relógio marca 20h30, pensa no filho que já é obrigado desde cedo a viver um dia corrido, acordando cedo, dormindo tarde, sem pais presentes, sem uma educação linear.
A criança fica a manhã toda na escolinha, vai para a casa da avó depois do almoço, brinca sozinho porque não tem crianças por perto, as vezes sofre calado de saudades.
Por volta das 21h ela chega na casa da mãe, brinca um pouco com o filho e finge se interessar pela vida acadêmica dele, finge se interessar pelo dia e pelos problemas da mãe, aproveita e tem um "arranca-rabo" com o pai para não perder o costume.
Ela pensa na sua casa e se entristece, já não tem mais prazer em estar lá, quase não tem mais certeza de que lá é seu lar.
Ela chega com o filho já adormecido em seus braços. Ela dorme no sofá assistindo à um filme qualquer, estão sozinhos.
Ela acorda assustada:
-Cadê ele?
Levanta num salto e sente a fisgada na coluna, corre para o quarto e o encontra esparramado na bela cama de casal que ela comprou, com seus lençois limpos e seu cobertor quentinho. Está com os pés gelados.
Olha o relógio, quase 6h30, já está na hora de se levantar mesmo!
Pensativa olha mais uma vez para o marido e não consegue sentir raiva... mágoa... nem amor... Já não sente nada.
O dia começa de novo chuvoso mas, desta vez, ela não chora.
Sorriso aberto, trânsito intenso e um só pensamento: "a viagem".

sexta-feira, 26 de março de 2010

Carreira interrompida

Eu sou uma contorcionista frustada.

Voltando do pilates a pé com minha lentidão cheia de devaneios imaginei que seria uma excelente contorcionista se:

- Não tivesse canelas grossas por natureza;

- Alguém tivesse notado este meu dom na tenra infância;

- Não tivesse sido expulsa do balé aos 5 anos por conversar demais e atrapalhar a aula;

- Eu tivesse conhecido um circo antes dos 27 anos!

Conclusão:

Uma carreira interrompida a duras penas!

quinta-feira, 25 de março de 2010

Narizes

Eu tenho nariz de batata mas não batatão!

Eu tenho nariz de batatinha de casamento, incluindo a oleosidade mas dispensando a salsinha!

Com os anos aprendi a gostar de nariz grande, agora acho que nariz grande dá um certo charme e personalidade à pessoa.

Não pode ser nariz de bobão porque tem bobão que tem nariz grande e daí não dá charme dá esquisitice.

Nariz pequeno dá delicadeza ao rosto e só algumas pessoas merecem tê-lo pois são pessoas delicadas consigo e com os outros.

Nariz médio serve para quase todo mundo daí cada um terá suas peculiaridades - arrebitado, bolinha, largo na base, caído...

O importante é ter nariz para farejar coisas boas e metê-lo onde não se é chamado!

quarta-feira, 24 de março de 2010

Perdas e Ganhos

Recebi uma mensagem da Ana e, como sempre sou dispersa, prestei atenção só no final e tudo fez sentido...

[...]

"Se nos momentos de raiva você conseguir lembrar que os sentimentos positivos continuam presentes dentro de você e da outra pessoa, saberá que é possível abrir o caminho para eles, de modo que o que há de melhor em vocês volte a se manifestar".

Daí pensei:

"Ando perdendo muito (brigas, discussões, bate-bocas) mas com isso ando ganhando mais!"

Trilha sonora de novo deles...

Sei, que a tua solidão me dói
E que é difícil ser feliz
Mais do que somos todos nós
Você supõe o céu
Sei, que o vento que entortou a flor
Passou também por nosso lar
E foi você quem desviou

(Marcelo Camelo)




!

terça-feira, 23 de março de 2010

Partida perdida

Sabe aquela partida de qualquer coisa ou aquela discussão que você entra sabendo (ou não se importando) que vai perder?

Pois é...



"Eu que já não quero mais ser um vencedor
Levo a vida devagar pra não faltar amor"

sexta-feira, 12 de março de 2010

Burning

Eles tocaram 29 no momento em que eu fazia 29 anos.

Eles fazem um mega show para os amigos.

Eles são extraordinários como amigos e pessoas.

Uns não comem carne outros a devoram.

E é pela diversidade de comportamento e unanimidade de caráter que eu os amo!






quarta-feira, 10 de março de 2010

Dias que passam

Olho pela janela.
Sol, nuvens, dia lindo e caloroso.
Carros descem, carros sobem.
Pessoas se abanam e olham para o céu.
- Será que chove hoje?
Crianças correm sem camisa.
-Olha o carro menino.
Grades cercam quase todas as casas.
Eu aqui dentro, só olhando.
Toda casa tem portão fechado.
As crianças gritam e suam.
Vou para dentro da casa ou para dentro de mim.
Não sei.
Olho em volta e tudo é familiar.
A saudade também é familiar.
Anteontem e o ontem não é hoje.
Amanhã também não é hoje.
Cadê você?

quinta-feira, 4 de março de 2010

Timidez

Me lembrei da época que eu era tímida.
Uma era longíngua mas existente.
Essa época foi antes de 1997, ano que iniciou minha vida profissional.
Eu não ia na casa do meu namorado da época porque morria de vergonha dos pais dele.
Eu tinha vergonha de comer na frente das pessoas (e olha que eu nem comia de boca aberta).
Eu não sabia paquerar ou tinha vergonha de paquerar.
Mas em contrapartida sempre tive muitos colegas, nunca andava sozinha.
Pensei, pensei e pensei e não consegui me lembrar como fazia amizades.
Eu não tinha toda essa pseudo segurança que tenho hoje.
Eu não tinha todo este pseudo conhecimento das coisas.
Eu era apenas uma menina que sempre achou que não faria a diferença no mundo.
Eu sempre soube que nunca seria uma chefe de estado, ou inventora de algo revolucionário, ou até mesmo famosa por algum feito qualquer.
E todas essas lembranças de adolescência apareceram porque lembrei que no início do blog das 30 pessoas eu morria de vergonha de comentar posts de quem eu não conhecia.
Agora fiquei pensando como as coisas mudam!

terça-feira, 2 de março de 2010

Biscoitos

Este é para você Du que me ensinou!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Enquanto isso na sala de espera...

Na espera do Outback encontramos Jorge Wagner e Washington...

- Quem?

- Jorge Wagner e Washington do São Paulo, lá na mesa, tá vendo?

- Não, qual deles?

- Aquele e aquele. Como você não conhece? Jogam no São Paulo!

- Ahhh... eu acho que conheço aquele ali. Quem é?

- Qual?

- Aquele ali do lado daquele outro.

- Não sei. Deve ser da comissão técnica ou alguém interno mas não é ninguém conhecido!

Sábado

Depois de uma manhã brava e turbulenta, não por minha causa e nem era comigo, recebi uma "visita" bem legal: gatinho!

Tomamos café juntos, ele bravo eu lesada e com sono, ele acabara de sair do trabalho as 9hs da manhã e eu acabara de sair da cama as 9h30.

Fomos tirar mais um cochilinho (no meu caso) e ele foi dormir o sono dos justos.
Almocei sem ele porque o sono era maior.

Tarde chuvosa, voltei para debaixo das cobertas para assistir filme/desenho/programa/qualquercoisa.

Acabei acordando ele porque eu falo sozinha e falo com quem está dormindo do meu lado.

Vamos ao cinema? Já estava combinado...

Decidimos pelo sim, ele iria tomar banho, enrolou enrolou e não almoçou.

Eu dirigi, trânsito monstro, passamos na frente do Palestra Itália.

- Olha lá o muro verde. Glorioso Palestra. Um dia será que serei sócio?Se morrássemos ali (na frente do estádio) até você seria sócia. Ahhhh..... Palmeiras!

Entramos no Shopping Pompéia de cara com OUTBACK... ficamos por lá!

A "Preciosa" ficará para outro dia e nós ficamos com a melhor Ribs on the Barbie do mundo!


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Sensação do momento


O querido me apresentou esta série. Disse que eu gostaria.

Como já dizia o sábio (esqueci o nome dele)

- "Quem sabe, sabe!"

O vício veio rapidamente, entrou pela veia, pelo cérebro.

Para sábado tenho planos de terminar a primeira temporada!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Hoje me sinto feliz

Nada demais aconteceu.

Não choveu, não nevou, nem garoou.

Senti calor, suei, nadei, melhorou.

Liguei, me aborreci, esqueci.

Descansei, li, saí, tomei um passe, tomei muita água.

Ouvi, refleti, caminhei.

Respirei, respirei e dormi!

Falsa eu? Há quem pense...

Eis que houve uma afirmação sobre mim:

-Pense numa pessoa falsa. É a Fabiana!

Daí fui buscar, no Wikipédia, a definição de Falsidade:

Falsidade é a característica do que não é verdadeiro.

A falsidade em sua concepção traz à pessoa certos proveitos. Omitir sua condição, ou se mostrar de maneira diferente para levar vantagens, obter lucros, ascensão social, desmoralizar outras pessoas entre outros.

Posto isto pensei:

"Levei vantagem em quê?"

"Tirei proveito do quê?"

"Obtive lucros, ascensão social? Não! Continuo na mesma."

"Desmoralizei alguém?"

Fiquei um tanto de tempo pensando... desmoralizar... desmoralizar...

E aí concluí comigo mesma:

Não! Não desmoralizei ninguém!

Como posso eu desmoralizar alguém perante outrém se este alguém já tinha se autodepreciado?

Como posso eu desmoralizar alguém perante qualquer pessoa se o conceito já estava lançado?

Como posso eu me importar com alguém que pouco se importa consigo mesma?

E este foi todo o tempo que pude dedicar a pensamentos sobre isto.


O que penso sobre a autora da frase?

Que este alguém encontre outrém que a faça feliz... ou apenas que suporte suas neuroses!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Curtindo o carnaval...

Terça-feira de carnaval.
Sol.
Calor.Vamos tomar umas com o pessoal.
Eles demoram.
Du e Tati.Leticia e Arthur.
Cleitão e o pessoal.
Eu e o Bola, naturalmente chegamos primeiro.
Chegaram.
Tati no rango.Du nas nuvens.
Leticia de coruja nova.Arthur novo na patota.
Conversa vai...
Conversa vem...
Rango na mesa...
Carnaval acabando.Chega o Cleiton com um casal de amigos e suas idéias revolucionariamente estranhas.
Quero ouvir mais mas já deu a nossa hora.Estou até agora tentando lembrar o título da Monografia dele que é quase tão comprido quanto o nome de D. Pedro.
Ficaremos com saudades da Tati.
Desejo que em breve possamos comemorar sua nova residência junto de nós.
Ficaremos com saudades da felicidade incontrolável do Du de ter a Tati ao seu lado.
Ficarei com saudades da noite de domingo de carnaval ao qual eu e o Du ganhamos da temível família Kroupa no Perfil.Ficarei com saudades daquela manhã de domingo carnavalesca!


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Dá-lhe festa da carne

No CARNAVAL o que eu mais queria era ter por perto ...


AMOR

AMIGOS

CERVEJA
Quem acredita sempre alcança!!!!

Arquivo do blog